O site que noticia tudo o que é yaoi!

Mundo Fujoshi: Tipos de Seme – parte 1

Mundo Fujoshi: Tipos de Seme - parte 1

Após uma longa espera, segue o tão prometido artigo dos tipos de Seme e Uke!

As definições são da matéria original do fantástico blog do Bangin Japanese Words of Anime Fans by Anime Fans and For anime Fans, numa tradução livre e comentada. Preferi apontar os meus próprios  exemplos, mas sintam-se à vontade para colaborar (ou mesmo puxar a minha orelha) nos comentários.

1. へたれ攻め[hetare-zeme];  hetare significa que a pessoa é muito relutante ou simplesmente estúpida. Caso o seme seja menos agressivo ou mais positivo que o uke, ele pode ser hetare-zeme. O hetare-zeme pode até funcionar como seme, mas é totalmente controlado pelo uke.

Acho os semes de Groupie da Youka Nitta uns hetare completos. Outro exemplo típico é o Ueno, o tratador de animais, seme de Sensitive Pornograph que é pego de surpresa por um “coelhinho”.

Mas até que no final das contas o Ueno se sai bem… então não deve ter ficado hetare por muito tempo.

2. 鬼畜攻め[kichiku-zeme]; kichiku significa barbaridade ou uma pessoa que é fria. Então se ele é extremamente sangue-frio e faz coisas brutais ao uke, ele pode ser kichiku-zeme ou apenas kichiku.

Vejo o doutor Muraki do Yami no Matsuei como um tipo destes. E ainda por cima Kichiku-megane.

Pelas minhas impressões do anime Enzai, praticamente todo o mundo lá cai nesta categoria. E até onde me lembro… em Fujimi Orchestra não tínhamos um seme muito gentil.

3. ワンコ攻め[wanko-zeme]; Wanko é cachorro ou melhor explicando, a palavra deriva da onomatopéia japonesa para cachorro que é wanwan (“auau”). Em qualquer circunstância os cães são obedientes a seus donos. Sim, não importa o quão frio o uke é, quantas vezes recuse-se a aceitá-lo, ele nunca desiste e eventualmente consegue o que quer. Soa como uma relação entre um senpai-uke e um kouhai-seme (em outras palavras, senpai e kouhai podem significar sênior e júnior ou veterano e calouro. São palavras para posições dentro de uma companhia ou universidade.). Mesmo que o uke esteja numa posição superior… se o kouhai vira seme, há uma inversão de papéis.

Este exemplo é fácil, há o literal wanko-zeme do mangá Inu mo Arukeba (Man’s Best Friend – Kazusa Takashima) que é um cãozinho que se apaixona por um rapaz e se torna humano ( mas continua com uma personalidade bastante canina).

Outro bom exemplo seria o fiel Klaus, do anime/mangá Maiden Rose (Furanosuke Inariya)… que inclusive personifica um canídeo em sua adorável versão chibi.

4. 総攻め[sou-zeme];  Este termo é usado principalmente em círculos de doujinshi. Digamos que num certo mangá ou anime, não importa com quem ele saia, acaba sendo seme.  総[sou] significa geral, abrangente.  Em contrapartida também existe o sou-uke.

Eu acho que o Asami de Viewfinder é um destes “semes absolutos”. Não o vejo sob o “domínio” de outro homem. Sei que é um clichê “heteronormativo yaoi”, mas é assim que eu o vejo. *risos* Eu diria que o Misaki de Junjou Romantica é um sou-uke.

Semes e ukes universais são bem comuns em jogos BL…

5. 下剋上攻め[gekokujou-zeme]; 下剋上[gekokujou] refere-se a alguém de posição inferior a outra que a ultrapassa. Então no início ele é um uke, mas conforme as coisas vão acontecendo, ele pode superar o seme e pode até eventualmente tomar o lugar dele.

Eu me lembro de uma relação mais ou menos assim em Zion no Koeda (Furanosuke Inariya). E não foi exatamente muito legal para ninguém, pelo visto… T_T

Apesar de não acontecer a inversão de papéis, a relação entre o casal Junjou Egoist de Junjou Romantica Nowaki e Hiroki parece seguir esta linha.

6. やんちゃ攻め[yancha-zeme]; yancha significa alegre, mas também pode significar “travesso”, em outras palavras “safadinho”.  Bom, se ele é alegre e/ou extremamente infantil, pode ser um yancha-zeme.

Se entendi a definição corretamente, acho que alguns personagens da Naono Bohra se encaixam nesta categoria, como em Electricity e até na série Whisper.

Ao menos os semes destas séries são bem joviais se comparados a  seus ukes….

7. ノンケ攻め[nonke-zeme]: ノンケ[nonke]  significa orientação heterossexual. Este tipo de seme é hetero no começo, mas pode ser tentado pelo uke ao longo da história e eventualmente virar gay.

Existe até um filme gay com esse nome. É uma premissa bastante comum no yaoi. Em Future Lovers, aparentemente temos esta dinâmica, e quase acontece algo assim entre o Chikage e o Ono de Antique Bakery.  Certamente o Seiji de Sensitive Pornograph tem muito jeito de nonke-zeme ao se apaixonar por um mangaka que ele pensa ser uma garota.

No próximo post teremos a segunda parte dos tipos de seme. Até lá!



Sobre Tanko

Tanko tem 32 anos, é ilustradora freelancer, noiva, lolita e yaoista militante nas horas vagas. Atualmente reside nas montanhas para escapar do Tsunami e da especulação imobiliária no Rio de Janeiro. Ver todos os tópicos de Tanko

17 Comentários a Mundo Fujoshi: Tipos de Seme – parte 1

  1. Jess

    Que máximo xD! Tudo bem que eu não gosto de ficar “classificando” muito as coisas, mas é legal de ler de qualquer forma.
    Eu ainda espero conseguir ler alguma coisa da Furanosuke Inariya e realmente gostar D:… sei lá, todas as obras que eu li dela tinham ~algo~ que estragava. A começar pelos non-con em Maiden Rose que me parecem… non-con demais. Zion no Koeda também é mó esquisitão :/… enfim, opinião pessoal, né :B

    Asami seme absoluto, huahahah, pior que realmente parece impossível imaginá-lo não sendo seme

    • Bom, o interessante destas classificações e nomes é que eles são usados no fandom japonês. Daí acho que não pode faltar. =)

      Maiden Rose eu gosto, mas os outros são um pouco violentos demais para o meu gosto. Estranhamente o non-con em Viewfinder me parece bem mais fantasioso e não me deixa com a mesma sensação de brutalidade.

      • Jess

        Claro, claro, as classificações são importantes, sim xD! O que eu quis dizer é que eu, particularmente, tento não pensar muito nelas… isso porque eu tenho mania de organização, portanto tenho certeza que, se der muita trela pros nomes, vou acabar perdendo tempo/quebrando a cabeça “classificando” personagens quando estiver lendo BL, huahah

        Então, eu realmente não consigo explicar por que não gosto das obras dela. Eu já tentei repassar mentalmente, e todos os fatores que encontrei (como o non-con) também estão presentes em outros mangás dos quais eu gosto! Sei lá, talvez seja o jeito como ela apresenta as coisas – será!? Ok, desisto, hahah!

        • Em Maiden Rose, eu pensava: "bem, o Taki poderia simplesmente matar o Klaus ou deixá-lo ser assassinado, preso ou exilado com bastante facilidade. Apesar de sua constituição 'frágil', se aceita os avanços do Klaus, alguma coisa deve ter, não é? Ele deve gostar."

          O mesmo não se aplica ao "Zion no Koeda". É apenas uma questão de gosto, acho que a história não dá a mesma volta na minha cabeça para que eu ache agradável. O que não quer dizer que seja ruim ou mal feita.

          E também, gosto do tema "personagem que ultrapassa o outro" e acho que poderia acontecer num contexto mais feliz.

  2. Na verdade acontece sim algo entre o Chikage e Ono, mas só nos doujinshis, huhuhuhuhuhu… *pervo*
    To adorando essa matéria! Congrats!

    • Ah, os doujinshis são picantes… =D~ E bem engraçadinhos.

  3. Os kichiku-megane-seme são destruidores de lares. Nem precisando ser necessariamente em yaoi, embora sendo tudo fica sempre mais interessante :D

  4. Xeretinha

    Adorei essa matéria, mas os japonêses já gostam de rotular tudo, êita!! :)Para quem não está acostumado, termina se confundindo com tantos nomes, mas não deixa de ser interessante. O Blyme virou a minha biblioteca Fujoshi :D

    Em relação a Furanosuke Inariya, realmente ela consegue despertar sentimentos não muito agradáveis. Me lembro quando li Giglio pela primeira vez e por "azar" esse mangá foi o primeiro trabalho que li dessa mangaká, fiquei um pouco chocada com a violência e principalmente com o final traumático, mas como sou insistente não deixei de procurar outras obras dela e achei outras estórias mais agradáveis como o oneshot Chrysalis. Mas temos que lembrar que ela gosta de retratar tempos de guerras e sabemos que guerra nunca traz nada agradável :)

    Tanko uma dúvida, o newsletter está funcionando?

  5. Keiko Maxwell

    ADOREI a classificação! Só que é muita informação para uma cabeça só…Eu que me confundo com seme e uke estou perdida com esse monte de classicações XD

    Só para constar: nonke-zeme: Se não me engano, em Yellow, da Makoto Tateno, acontece mais ou menos esse caso…Só que é o uke quem acaba sendo influenciado pelo seme..então, seria um nonke-uke? O.o

  6. vampaya

    Nossa!! xDD Eles não deixam escapar nada heim!!

    Rotularam todos os semes hahha E pior que eu tenho certeza de que já lí pelo menos um mangá com cada um desses tipos /o/~

    Queria poder dar uns exemplos mas duvido que eu lembre o nome do mangá, muito menos dos personagens hehehe ^^'

    Sobre o Asami ser seme absoluto já rendeu muita conversa com uma certa amiga minha, super fã do Asami (née Aly? xDD)

    Ahh, eu adoro esses posts /o/~

  7. Steh

    Adorei! Os exemplos foram muito bons também.

    Esses dias terminei o mangá de 2 volumes (The Cornered Mouse Dreams of Cheese e The Carp on the Chopping Block Jumps Twice [nomes gigantes]) e como o exemplo de Keiko, é o uke que é influenciado pelo seme – seria um nonke-uke (?). E depois ocorre o que seria gekokujou-zeme, quando há a "inversão de papéis". É muita informação, mas o mangá é ótimo '.'

    É tão interessante ler as classificações. Depois a gente para pra pensar e vê que realmente cada uke e seme é "classificável", como se fossem pré-montados… XD~

    E sobre Fusanosuke Inariya, concordo quando dizem que os trabalhos delas não são tão agradáveis, contudo conseguem deixar de ser um mero yaoi que passa despercebido, aqueles que você já esquece depois de duas horas. O último que li foi a oneshot Close Your Eyes que também se passa em um cenário de guerra, mas é muito mais leve e recomendo pra quem nunca leu nada da mangaká e tem o coração mais fraco xD~

    Aguardo a segunda parte da matéria :D

    • Xeretinha

      Steh, a Inariya tem alguns oneshots bem lights, por exemplo, esse que você citou, eu adorei. Mas às vezes o problema com ela e que muitos leitores não gostam de temáticas relativa a guerra, preferem yaoi com estórias de escolas de garotos ou outros temas. Você termina por se acostumar com o estilo, mesmo ouvindo opiniões divergentes ou se sentindo meio chocada com teor violento. Muitos não gostaram de Giglio e Zion no koeda, mas estão amando Maiden Rose e todos esses mangás focam a guerra. Diferentemente de Shin Mizukami, que é outra mangaká que gosta de guerras, suas estórias focam mais a comédia, apesar do mangá Aigan Shounen ser pesadinho e como você disse não é para corações mais fracos :D

      • Steh

        Também adorei Close Your Eyes! É uma pena que seja um oneshot, seria um ótimo mangá. Conheço quase todos os mangás de Shin Mizukani, talvez por isso eu não tenha ficado tão chocada com os trabalhos da Inariya :)

        Faço parte do grupo que não alimenta preferência por BL's que passam em "mundos cor de rosa", fluffy demais… Acho que isso contribuiu na minha aceitação de yaoi's com cenário de guerra e que possuem mais violência XD Claro que isso não significa que eu não goste de um "romance bonitinho"!

        • Eu não creio que a violência me choque, ou o cenário desagrade. Não sei ao certo, talvez a impotência quase TOTAL de um dos personagens é o que me dê agonia.

          Não achei "Zion no Koeda" ruim, pelo contrário, só não é 100% do meu gosto pessoal.

          Confesso que sou uma fanática por histórias de amor, mesmo que trágicas, realistas ou não.

          Ah, cara, odeio yaoi descartável, minha memória já é ruim o bastante, rsrs. Um dos motivos pelos quais eu evito colegiais e fluffys. (Mas a Taishi Zaou faz coisas que são palatáveis.)

          • Jess

            Pior que depois que eu li mais um pouco do Maiden Rose, eu acabei gostando :S. O Taki fica bem menos 'damsel in distress' conforme a estória avançava, acho que isso fez com que eu gostasse mais…

            Acho que o cenário de guerra não é muito determinante pra mim nessas horas, viu!? Eu, como vocês, também gosto de estórias complexas e temas mais violentos. Por exemplo, eu gostei de Giglio! Acho que é uma das que eu mais gostei dela. E confesso que até acho algumas cenas de tortura em Zion no Koeda interessantinhas… meu problema é outro, huahah, eu realmente não sei explicar. Mas creio que tem a ver com "a impotência quase TOTAL de um dos personagens" que a Tanko citou, também me dá agonia.

  8. saemy

    Que interessante!Nunca imaginei que havia classificações para seme xD
    Amei a matéria!Parabéns! ^^

  9. Kurogetsu

    Cade a continuação? D:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Calendário de posts

fevereiro 2010
S T Q Q S S D
« jan   mar »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728

Amazon Brasil

Lojas Online

Facebook

Twitter